Os projetos de áreas públicas para recreação, mobilidade e lazer, que envolvem os canteiros de avenidas, praças e parques envolvem uma concepção ampliada da paisagem, que busca conectar as suas funções na dinâmica urbana, como retenção de águas pluviais, combate a ilhas de calor, arborização de ruas e avenidas, acessibilidade e demais aspectos de infraestrutura verde com as demandas estéticas da sociedade, mantendo os custos de conservação dos ambientes projetados e existentes dentro das capacidades técnicas e financeiras dos municípios. Cabe ressaltar a importância de soluções de custo/benefício positivo aliadas a composições ornamentais que assegurem conexão entre as pessoas além de condições de sustentabilidade para a flora e a fauna urbanas.


Praça Irmãos Karmam, São Paulo, SP: A proposta paisagística para o local buscou utilizar espécies vegetais adaptadas à sombra e a declividade, duas condições de grande desafio projetual. Em meio às grandes árvores existentes foi possível criar ambientes com plantas coloridas e perfumadas, onde as aves encontram refúgio e as pessoas podem relaxar, brincar ou praticar esportes de baixo impacto em aparelhos esportivos especiais. O playground e a iluminação ampliaram o uso seguro do local para o período noturno, dando ainda mais vida à região, onde a praça tem papel privilegiado.

area_verde_urbana_1


Parque Prefeito Mario Covas, São Paulo, SP: Conhecida pela agitação e dinamismo, a Avenida Paulista ganhou um contraponto com a inauguração do Parque Mario Covas, um espaço verde e bonito onde as pessoas podem descansar e curtir momentos de relaxamento em meio ao "caos" urbano. Tendo a sustentabilidade e a informação como prerrogativas, possui posto de informação turística, bicicletários e sanitários. Este "oásis" de tranquilidade, conta com a vegetação nativa original e novas espécies brasileiras e exóticas que formam seus canteiros, pergolados e ambientes diversos, cujas flores fazem do parque um local especial.

parque_mario_covas


Parque do Povo, São Paulo, SP: O parque, projeto emblemático no paisagismo da cidade, possui 112 mil m2 e é fruto da retomada de diversos terrenos contíguos anteriormente invadidos. Desde o projeto, implantado pela PMSP sob a coordenação de seu autor, Andre Graziano, tem o intuito de apresentar coleções botânicas de forma educativa à população. Destacam-se as madeiras de lei brasileiras, o jardim dos sentidos (plantas aromáticas e medicinais) e o playground com plantas trepadeiras. O parque abriga também atividades culturais e esportivas, além de apresentar acessibilidade total e academias de ginástica para idosos e cadeirantes.

parque_do_povo


Praça Esther Mesquita, São Paulo, SP: Localizada em Higienópolis, com grande parte de sua área em forte declive, o projeto desta praça foi desde o início um grande laboratório de paisagismo. Foram usadas plantas com rusticidade, adequação a situações de sombra e de talude e beleza. É marcante o uso de folhagens e plantas de pequeno porte com flores. Destacam-se as forrações como a vedélia amarela, o rabo de gato vermelho e o lambari roxo. O plantio da vegetação acabou com a erosão e fez da praça um local bastante agradável.

esther_mesquita


Parque Zilda Natel: Neste parque de São Paulo, com acesso público privilegiado, diversos tipos de esportes podem ser praticados por todas as idades. Mantidas as árvores existentes, foram criados dois pavimentos de recreação, o inferior destinado a três modalidades distintas de skate e o outro ao basquete de rua e à ginástica de baixo impacto, onde figura uma academia ao ar livre. A vegetação, abundante e florida, envolve os espaços recreativos permitindo que as atividades sejam praticadas na sombra ou no sol, aproximando os visitantes e criando ambientes agradáveis e reservados.

parque_zilda_natel


Orquidário Ruth Cardoso / Parque Villa Lobos, São Paulo, SP:O projeto, desenvolvido em parceria com Decio Tozzi e doado à Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo, apresenta colunas de aço corten cuja função é sustentar diversas espécies de bromélias e orquídeas. A proposta é manter, no espaço central, um acervo vegetal permanente, enquanto nas bancadas laterais serão apresentadas as orquídeas da coleção do Jardim Botânico de SP ou outras exposições temáticas. As colunas surgem de dentro de um espelho d'água que mantém a umidade interna e reflete em sua superfície o esplendor das plantas. Cada coluna constitui uma unidade de jardim, com irrigação e iluminação próprios.

banner_orquidario


Praça Imprensa Fluminense - Centro de Convivência: No coração do Cambuí, bairro cuja localização é privilegiada em Campinas, esta praça é mais conhecida por abrigar o Centro de Convivência. Entretanto, foi a abrangente revitalização municipal realizada em 2004 que reformou seus pisos e canteiros, adequando-a à norma de acessibilidade, preservando seu patrimônio vegetal e a ele incorporando novas espécies de palmeiras, arbustos e plantas floríferas. Considerado um exemplo de intervenção paisagística urbana, a praça não só se manteve como ponto de encontro da cidade e de diversas manifestações artísticas e culturais, como apresentou melhorias urbanas que se transformaram em modelo para outras cidades da região.

Em_breve_848_154